HOME •  INFORMAÇÃO • Notícias
Sarau da liberdade / Produções dos alunos e comentários

Alguns clicks durante o Sarau da Liberdade

Sarau da liberdade

Sarau da liberdade
"Instalação" referente ao tema - Você é escravo de que?

Sarau da liberdade
Amostras das produções dos alunos

Sarau da liberdade
Alunos Jonatham e Pedro com seus trabalhos

Sarau da liberdade

Sarau da liberdade
Produções em tela

Sarau da liberdade
Prof. Glória na abertura do Sarau

Sarau da liberdade
Participantes no espaço da Instalação

Sarau da liberdade
Turma envolvida - missão cumprida.
Participação do profs Marília e Alex(Artes)

Algumas das produções dos alunos durante o período de estudo do Clássico "A Escrava Isaura".

Liberdade pra quê?

A liberdade é algo que provém de Deus. Deus põe a liberdade acima até das suas leis, Deus quer que os homens sejam livres para servi-lo ou não, por isso devemos adorar a Ele.
Precisamos da liberdade e ela já nos foi dada, mas o homem escraviza outro homem, ou uma coisa escraviza o homem. Pode ser: Droga, Bebida, Trabalho, computador, Televisão, videogame, coleção de qualquer coisa, celular, música, enfim, qualquer coisa em que o homem põe como deus na sua vida também é uma forma de escravização.
Um escravo não tem liberdade de expressão, de ir e vir, de emoções, um escravo para seu senhor pouco difere de um robô, sem emoções e tem que fazer o que ele bem quiser. Deus fez o homem para governar sobre as demais criaturas, não para governar e controlar outros homens.
A liberdade é um direito nosso, mas o limite dessa liberdade são as leis, as leis são uma espécie de autogoverno externo, as leis são feitas para colocar na cabeça do indivíduo que não deve fazer aquilo, e o resultado da teimosia é justamente a perda da liberdade. Então a liberdade nos ajuda a sabermos diferir o certo do errado.

Pedro Elardenberg

Os direitos do escravo

Quais são seus direitos? Reflita sobre isso. Na sua vida não há espaço para sentimentos, somente a esperança de um dia ser livre. Espaço, tempo e matéria, essas coisas não existem para um escravo. Em suma, os direitos do escravo nada mais são do que um profundo e imenso... vazio.

Pedro Elardenberg


Liberdade I

Liberdade é o ato ou efeito de ser livre, ou estar preso no pensamento e poder se libertar. Deus nos fez livre, e temos o direito de usar essa liberdade conforme as leis mandam, pois assim estaremos sendo livres, mas dentro de normas constituídas por Deus.
Se fôssemos livres sem normas constituídas por Deus, o mundo seria uma bagunça, pois as pessoas estariam fazendo coisas erradas, pois sem leis só há desordem....

Por Pedro Elardenberg


Liberdade II

Liberdade é fazer e dizer aquilo que não se oponha às leis, então para saber usar a liberdade de forma adequada é necessário ser obediente às leis, pois estaremos em segurança e fazendo o bem para nós mesmos e para o próximo.
Temos liberdade para servir, expressar, expor os pensamentos e para a ser operante na obra de Deus.

Por Kerolayne

A dor do sofrimento

Eu sou eu, este mesmo que vos fala.
Não posso aparecer por causa da minha cor.
Vivo a trabalhar nessa escuridão sem fim.
Não posso falar, pois me bateriam,
Não posso opinar se não me matariam.

Não tenho razão, nem mesmo para onde olhar,
Mas eu sei que alguém irá me ajudar. Um dia
Talvez isso aconteça, e o que me resta é esperar,
Mas esperar é uma palavra difícil,
Não pode existir no meu vocabulário,
Mas se ela vier a existir,
A palavra opressão vem junto.

Esse é o meu mundo sem rumo e sem direção.
A única coisa que posso fazer pensar,
mas o tempo não deixa, por quê alguém
me obriga a trabalhar.
Minhas pernas ficam tremulas,
meus braços doem.
Não penso que vou sair dessa,
pois carrego uma bagagem muito grande,
a bagagem da escravidão.

Por Israel Feitosa Teixeira.


Escravidão

Fui desafiado a escrever este texto e realmente espero que à partir dele, alguém possa abrir os seus olhos e também ajudar a outros e que isso seja tão somente para a honra e glória do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo para que o princípio da liberdade seja exercido por todos os povos em todos os tempos e lugares.
Em primeiro lugar, gostaria de dar uma boa definição para escravidão, pois como já bem disse o grande pensador Irineu “meramente descrever tais doutrinas é refutá-las”. A partir desta grandiosa citação, já confirmo a minha posição convicta de “abolicionista”, e realmente desejo que isso fique bem claro, mas retornando a linha de pensamento, escravidão, é a “situação social do indivíduo ou grupo, obrigado a servir sob coação, a outra pessoa, que exerça sobre ela direito de propriedade.” Será que temos visto pessoas nestas condições ainda hoje? Discutiremos isto mais tarde. Por hora um pouco de História irá ampliar os nossos horizontes e instigar os nossos pensamentos.
Na bíblia, vemos inúmeras recomendações de como deveriam ser tratados os escravos e servos, porém em parte alguma vemos uma exortação quanto a isto. Por que será? Será que Deus aprova a escravidão? Não! Isto acontece pelo simples fato que a natureza humana está ligada a escravidão, somos, ou melhor, éramos escravos do pecado, então isto está dentro de nós. Como nos desvincular de uma condição tão forte?
Deus teve que criar leis de proteção para escravos e servos, uma vez que eles sempre existiriam, mas isto de modo algum muda a posição de Deus que nos criou para sermos livres. Escravos sempre existiram, desde os prisioneiros de guerra até escravos voluntários, pessoas que se vendiam por comida e acolhida, até civilizações de caçadores e coletores possuíam os seus prisioneiros de guerra, mas isto se fortaleceu mais mediante o sedentarismo do homem. Na idade média, isto passou a ser tão normal que pessoas como Santo Agostinho e São Tomás chegaram a considerar como normal e até igrejas e conventos possuíam os seus escravos. Isto cresceu de tal modo que no século XVIII a Europa já importava o incrível número de 84.000 escravos por ano da recém descoberta África.
Mas, isto não poderia continuar. Deus preparou e planejou uma reforma, pois o seu filho que foi morto para libertar escravos do pecado também havia morrido na mente das pessoas. O ideal de liberdade foi tão pisoteado que passou a ser esquecido pela grande maioria da população. A Reforma a princípio não teve grandes resultados como foi já foi mostrado anteriormente. O número de escravos continuou crescendo, mas guerras são sempre assim. Quando se acredita que está havendo uma derrota avassaladora à batalha já começou a mudar drasticamente e por isto temos hoje o privilégio de ter um mundo praticamente livre da escravidão. Mas, de que escravidão estamos falando? Aquela de troncos e açoites foi quase erradicada, mas uma muito pior tem se levantado nos dias de hoje, uma escravidão camuflada.
As pessoas quando aceitam a salvação de Deus estão tão acostumados a serem escravos que não sabem mais ser livres e continuam escravos de um estilo de vida mundano. Escravos de cartões de crédito, novelas, fofocas, desonestidades e de tantas outras coisas e em outros tempos, a igreja tem se comportado de modo idêntico, simplesmente toleram tudo.
Eu e você temos a oportunidade de mudar isto. A questão é:

Queremos ser livres?
“e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.” João 8:32

Por Davi G. Cartaxo

Liberdade

A maioria das vezes as pessoas acham que Deus é o culpado pela situação em que nos apresentamos. Ele nos deu liberdade para fazermos as nossas escolhas. Há outras pessoas que acham que ser livre é fazer o que der na cabeça, elas estão enganadas. Ser livre é fazer as escolhas certas, fazer apenas o que for submisso à vontade de Deus.
Quando somos fieis as leis de Deus nós temos uma vida com segurança, pois estamos sob a proteção do Senhor.
Concluímos se fizermos as escolhas que parecem nos levar para o caminho da felicidade, o futuro pode nos aguardar uma triste surpresa. Mas se fizermos as escolhas que estão sob as Leis de Deus nós estaremos em segurança.

Samantha Toscano

Conceito de instalação:

INSTALAÇÃO
Instalação é um lugar. A sala ou um outro espaço onde o artista realiza o trabalho é também tratado como um material. O espaço é incorporado ao conceito do trabalho. Este espaço pode ser construído, delimitando áreas dentro de outro espaço, como por exemplo, em museus ou em eventos que geralmente se realizam em grandes prédios com características de pavilhões. Mas na maioria das vezes, o artista se apropria de uma sala já existente que será transformada por seu trabalho. Espaços externos também são apropriados e transformados em instalações que repensam o espaço real. Mas em todas as situações o que se deve ter em conta é que um espaço está sendo apropriado e que se está pensando um lugar que será habitado pelo corpo em movimento.

A instalação remete à escultura ou à arte objetou pelo uso do espaço tridimensional, mas deles se distingue bastante. Isto porque o corpo do espectador de uma escultura apreende suas possibilidades numa dinâmica sujeito/objeto/espaço/tempo sem penetrar no interior da área ocupada pela escultura. Exceções podem ser pensadas nas esculturas em grandes dimensões encontradas, sobretudo em espaços públicos. A escultura usa o espaço tridimensional, mas raramente oferece um espaço para ser habitado, numa relação de se estar dentro ou fora. Portanto, a instalação expande as questões da escultura. Não se trata somente de ocupar uma determinada área do espaço como as peças escultóricas, mas de se apropriar de uma arquitetura chamando a atenção para o lugar que é transformado. O grande cubo que envolve o corpo do visitante é manipulado para se tornar um espaço de experiências estéticas.



Relatórios dos alunos


O sarau iniciou-se com uma breve abertura com a professora Glória, que deu uma explicação sobre o que era um sarau. Logo depois, Davi explicou sobre a obra “A Escrava Isaura”, e falou um pouco sobre a vida do autor. Depois vieram os alunos: Samantha, Israel, Jonathan e Davi para recitarem os poemas feitos por eles.Logo depois da recitação, houve a apresentação em slides sobre: escravidão x liberdade. Depois da explicação dos quadros por Jonathan e Israel, Pedro se pôs a frente para dar uma breve explicação sobre a instalação, falou pouca coisa, mas o fato de ter coragem de ir à frente, chamou a atenção dos ouvintes e principalmente da professora Glória que se dispôs de ir à frente e dizer o quanto Pedro foi corajoso e disse mais, que isso é uma marca do seu caráter. Já no final, Israel deu uma explicação sobre o café, falou bastantes informações históricas sobre o café, explicando porque o café era tão importante naquele período(relatado no livro), depois da explicação convidou as pessoas a tomarem café e comer bolo. Para encerrar a professora Glória pediu para os convidados observarem um pouco sobre a arte da instalação e fez uma oração de agradecimento.

Por Kerolane

Em primeiro lugar, para dar um bom embasamento aos leitores, gostaria de lhes dar uma boa idéia de o que é um sarau. Sarau é um termo usado comumente para designar uma reunião noturna, mas, saindo um pouco da superficiabilidade, se trata da uma reunião de pessoas que regidas por um mesmo fim e que discorrem um tema específico se valendo dos mais variados meios artísticos para fazê-lo. Agora, voltemos os olhos as distantes lembranças daquela primeira tentativa de um sarau. Tudo teve inicio na mente da engenhosa da nossa professora de Literatura, apesar de tudo, era uma excelente idéia e nós a aderimos com gosto, porém mesmo com toda a nossa boa vontade, nos atrapalhamos com o tempo e creio que este foi um defeito capital que teria gerado resultados catastróficos, não fosse a benção da Deus sobre nós, que, aliás, devia ter uma grande obra para realizar na vida de alguém, pois tudo correu como mandava o figurino.
Mas apesar de tudo, certas personalidades ficaram gravadas na minha mente e graças a Deus por isso, pois são de certo dignas de serem imitadas e destacadas:
• A coragem de Pedro;
• A graça de Kerolane;
• A Simplicidade de Felipe;
• A humildade de Israel;
• O esforço de Samantha;
• A palavra de Kerolayne.
Assim, posso resumir esta noite especial.

Por: Davi G. Cartaxo


INSTITUCIONAL
MULTIMÍDIA
INFORMAÇÃO
OUTROS
Rua Cícero Fernandes Pimenta, 433 - Monte Castelo - Parnamirim-RN Fone 84 3272.3432
© 2007-2018 Imago Dei Instituto de Educação Cristã
ConexãoDigital.com